Tempo de leitura: 3 minuto(s)

É, ontem eu sentei e chorei como se fosse criança, de novo.

Ouvi uma criança dizer que não quer ir pra casa do pai porque não fica sozinho com ele um minuto porque a madrasta não deixa; que tem de ouvir da afilhada do pai (que por sinal é da família da tal madrasta) que pai dele gosta mais dela do que dele.

Tudo isso fez meu coração sangrar, me coloquei no lugar daquela criança porque meu pai nunca me quis como filha. Me coloquei  no lugar daquela mãe que ouviu isso, e que se doeu em mim, imagina nela, porque eu também vi o pai da minha filha não querer ser pai dela.

Como dói ver muitas crianças falarem do pai e você ter conhecido o seu apenas com 7 anos de idade. Ele nem quis me olhar, mas as irmãs dele e o meu avô eram bons pra mim. Eu comecei a passar as festas de final de ano na fazenda deles e sabe o que ele fazia? não olhava na minha cara, ele brincava e falava com todas as crianças, menos comigo. Minhas tias até tentaram, mas esse desdém dele doeu tanto nelas que pararam de me levar para vê-lo.

Aí, não era mais a dor de não saber quem ele era, era a dor da rejeição mesmo, ele nunca me quis. E a dor pior ainda estava por vir, porque minha filha é a criança mais educada que eu já vi na vida e o pai dela não quis ser pai. E como dói ver sua filha toda arrumada com a mochilinha nas costas receber uma ligação depois de horas esperando que o pai não pode ir buscá-la, ver sua filha mandar várias mensagem perguntando “pai eu posso ir na sua casa?”, “você vem, pai?” e ele nem responder.

Era aniversário, natal, dia das crianças… ele não vinha e não trazia nada, até que um dia, ele parou de fazer só o que fazia que era pagar R$200 de pensão e parou com as visitas só pra não ser cobrado, de cinco audiências ele foi em uma.

Falta palavra, falta sentimento, falta empatia, falta hombridade.
Daria a vida para que nenhuma criança precisasse passar por qualquer coisa do tipo.
Sonhei muito com o dia que o meu pai poderia me buscar na escola.
Sonhei como mulher de não ter ficar sobrecarregada não precisar fazer um papel que não era meu.

Queria dizer para todos os homens sejam pai, façam o melhor que vocês puderem. Não é fácil pra vocês, não é fácil pra gente também, mas a criança cresce e tudo vai valer a pena.

Autora: Gisele Nunes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui