Tempo de leitura: 3 minuto(s)

O Setembro Amarelo é uma campanha extremamente importante, porém as pessoas que propagam a ideia nem sempre são as melhores, e é sobre isso que queremos falar: a hipocrisia do ser humano.

É bonitinho compartilhar uma mensagem em uma rede social oferecendo apoio para quem quiser conversar ou divulgando números para prevenção ao suicídio, isso até dá likes. E por esse principal motivo que a campanha torna-se menos interessante, menos impactante e até mal vista por quem de fato precisa dela.

Nem todos que compartilham as mensagens sugerindo empatia estão se importando, de fato, com o outro, isso é a famosa sociedade de imagens.

Deixo aqui este apelo

Qual a lógica de compartilhar essas mensagens positivas somente no mês de setembro, sendo que o emissor pouco deu importância ao seu amigo que mais precisou? Qual a lógica de ceder o espaço da rede social, se não vai responder, se vai ser seco e não vai se colocar no lugar do outro? Qual o sentido de se doar para uma causa, se depois os comportamentos continuarão sendo individualistas e pouco empáticos?

Isso não se trata de um apelo para que as pessoas parem de compartilhar postagens sobre o Setembro Amarelo.

É um apelo para que haja responsabilidade em seu lugar de fala, eu, por exemplo como uma pessoa neuroatípica tenho muito cuidado ao ajudar e cobrar ajuda. Reconheço quando não estou com condições de oferecer minha companhia e meus ouvidos, peço desculpas e sempre deixo claro que meu amor ainda é o mesmo, em meu interior só posso desejar profundamente que tenham paciência, pois seu afundo como a dor de perder pessoas por não entenderem isso.

Então eu não seria tão irresponsável de oferecer ajuda quando reconheço que não posso oferecer, mas existem outras formas de demonstrar isso, existe gentileza e cuidado ao falar, saibam se comunicar, isso é tão necessário com seus amigos, familiares, etc.

Isso não é ser um plantão, mas é adquirir a confiança de alguém que possa estar passando por crises adversas, ao adquirir essa confiança, quem sabe essa pessoa te procure quando achar que é a hora de conversar?

E cabe a você, ouvir, respeitar, dialogar e indicar ajuda. Se todos cuidarem do seu círculo social mais próximo, todos estariam acolhidos e se sentiriam seguros para se abrir.

A solução não é capturar pessoas aleatórias na internet, mas sim, ser mais atento aos que estão ao seu lado e se mostrar disposto a quem te procurar.

Esta é uma lição para mim, que escrevo, para você que está lendo, e é uma lição diária,não só no Setembro Amarelo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui