Tempo de leitura: 2 minuto(s)

Ao planejar engravidar você provavelmente imaginava que seu ritmo de vida mudaria, afinal, cuidar de um bebê exige tempo e muita dedicação da mãe. O que mais você ouviu durante a gestação foi que aproveitasse para dormir e que sua vida jamais seria a mesma. O que não faltaram foram palpites e conselhos que você nem sequer perguntou, não é mesmo? De fato, você sabia que sua vida iria mudar, mas não imaginava o quanto. Então, você se vê saindo da maternidade com o seu bebezinho nos braços; fica feliz e amedrontada, ao mesmo tempo, com o que há de vir pela frente. 

Por mais que você tenha se preparado psicologicamente para essa nova fase da sua vida tão desafiadora, nada do que você leu, pesquisou ou imaginou chega perto dessa sua nova realidade. O puerpério despertou em você mudanças emocionais que nunca havia sentido antes: felicidade e medo, alegria e tristeza, incertezas e inseguranças. Essa avalanche de emoções toma conta de você e, por mais que você não entenda o porquê de tudo isso, é normal se sentir assim nesse período. 

Você precisa aprender a lidar com as noites mal dormidas e as refeições deixadas de lado para conseguir atender o bebê. Até tomar um bom banho, caso esteja sozinha em casa, torna-se uma missão quase impossível. Além dessa adaptação toda, você se sentiu confusa na sua própria personalidade, conflitos internos tomam conta de você e assola em seu peito uma crise existencial que te faz questionar sobre quem você é a partir de agora. Suas prioridades mudaram, sua rotina mudou, sua vida mudou e o principal: você mudou. Chega a ser difícil se encontrar no reflexo do espelho! É estranho dizer, mas é como se por mais que você continuasse sendo a mesma pessoa, uma parte de você deixou de existir desde o dia do nascimento do seu filho para que outra renascesse.

A vida é uma constante mudança! Todas as nossas experiências nos transformam e com a maternidade não seria diferente. Ela vai te fazer crescer, amadurecer, e transformar-te na versão de si mesma mais incrível que você já conheceu.


Este texto foi revisado por Luiza Gandini.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui