Tempo de leitura: 3 minuto(s)

Dói pra gestar, ter seus órgãos bagunçados dentro de vc. Dói na hora de parir, uma dor que te rasga diversas vezes. Dói na hora que teu filho chora e você não sabe o que fazer. Dói quando você está exausta e não consegue uma noite decente de sono. Dói quando você amamenta e teus seios parecem que serão arrancados do seu corpo.

Mas preciso confessar que a maior dor vem depois que essas se vão.
Dói saber que vc vai criar seu filho num mundo cruel. Um mundo sem piedade, onde empatia é celebrada como ano novo e amor ao próximo é tão raro quanto uma estrela cadente.
Dói perceber que, por mais que se esforce, você não vai conseguir proteger seu filho dos males desse mundo. Tanto de situações de perigo quanto de pessoas ruins.

Na verdade, as situações de perigo me preocupam menos do que as pessoas ruins. Dói saber que existem pessoas de má índole, de caráter duvidoso, de doenças perversas e sociopatias. Pessoas que podem fazer mal ao seu filho apenas pra se satisfazer. Isso doi tanto! Uma dor que dilacera e faz com que o sono não seja tranqüilo.

Vi uma notícia de um padrasto que fez algo terrível e a criança de 2 anos (!) faleceu. Chorei. Chorei muito. Fui dormir e tive pesadelos. Acordei chorando e corri pro quarto do meu filho, meu menino, impotente. Eu não vou conseguir proteger ele de todo mal. E que desespero isso dá.

Dói segurar teu filho nos braços e sentir que, mesmo vc dando seu mundo, ele não vai ser suficiente. Que toda essa alegria e toda essa inocência que mora ali precisa ser protegida e que vc precisa se esforçar ao máximo para conseguir isso.

Dói saber que esse coraçãozinho que mora fora de você vai chorar e vai sangrar de tristeza. E as lágrimas que serão derrubadas serão suficientes para desmoronar seus muros e abalar suas estruturas.

Dói também saber que ser mãe é a maior alegria e o maior desespero de uma vida. Sentir seu coração encher e transbordar e acelerar e quase parar todos os dias, pelos mais diversos motivos, seja aquele sorriso banguela ou aquela queda de cara no tapete da sala.

Ser mãe é sentir uma dor constante, seja ela presente ou futura. É sofrer por antecipação, é morrer de amor e de alegria. E ficar feliz por morrer por esses motivos.

Ser mãe dói. Mas é maravilhoso mesmo assim.

Autora: 

maesqueescre1.fw

Meu nome é Tatiane Braz e sou mãe do pequeno Milo, de 9 meses. Ele é a causa das minhas maiores alegrias e maiores medos nessa vida.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui