Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Se coloque no lugar da mãe que acorda cedo pros “corres” da vida. Respeita aquela que nunca parou de trabalhar, a que optou por ficar em casa cuidando dos filhos e que trabalha feito uma condenada. 

Se coloque no lugar daquela que se cobra pra voltar a ter o corpo de antes e daquela que não tem tempo de fazer uma caminhada. Respeite a mãe que passa horas com o bebê no colo e a que com jeitinho consegue confortar o bebê em outro lugar. 

Se coloque no lugar daquela que no final do dia não quer trocar uma palavra, porque está exausta, porque não tá afim, porque está triste. 

Respeita a que só quer alguém pra conversar e que te olha pedindo isso, mesmo sem dizer nada, porque essa mãe passou o dia inteiro falando com um bebê e agora quer conversar coisas de adulto. 

Se coloque no lugar da mãe que tem um companheiro massa, que divide as tarefas, que cumpre o seu papel, mas se coloque também no lugar daquela que tem sido castigada, que ama tanto o filho que não consegue encarar a vida sozinha, que vive uma relação difícil. 

Respeite a mãe e se não conseguir fazer, fique em silêncio e vida que segue!


Autora: Aline Cristine, @alinecrislima – Mãe, psicóloga e em constante movimento por um maternar mais leve e feliz!

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Ops, conteúdo protegido!