Precisamos falar sobre o Biel ou sobre os Biel’s? – Por: Thais Coscia

0

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Precisamos falar sobre o Biel ou sobre os Biel’s?

Sim, precisamos!

Eu gostaria de poder falar algumas coisas que penso! Primeiro, que um agressor não vira agressor do dia pra noite, ele não toma uma pílula mágica e passa a agredir mulheres por efeito colateral e depois volta ao normal. ELE É UM AGRESSOR.

Com toda certeza, esse agressor com cara de bom moço, já fez isso alguma ou algumas vezes e já pode ter até te contato, falando de um passado triste e como a EX DELE ERA COMPLETAMENTE DESEQUILIBRADA E COMO ELE SE VIU ACUADO E A ÚNICA ALTERNATIVA NAQUELE MOMENTO ERA A AGRESSÃO!

Então, acredite em mim, ele não é vítima, ele se faz de vítima para que acreditem na história dele, e com todo monopólio psicológico que terá sobre você fará exatamente igual, talvez sob novos pretextos, mas fará.

Não o desculpe, nem desculpe seus atos baseando em teorias como: “a sociedade o construiu assim” ,” machismo”, “patriarcado”, enfim, não que isso não seja também uma verdade, mas o agressor não tem essa “moral social”, ele pode ter mestrado, doutorado e ser um agressor.

Todos nós nascemos nessa sociedade machista, patriarcal e, por que uns agridem, e outros não?

Pois bem, o meu conselho é:

  1. Fique longe de quem falar alto com você.
  2. Fique longe de quem te segura pelo braço ou de quem te ama tanto que não consegue controlar o ciúmes .

A única pessoa com quem precisa se preocupar é com você. Não espere recuperação de um agressor, se ele não conseguiu te agredir ou te agrediu, “algumas poucas vezes”, saiba que ele continuará fazendo. Com você e com as próximas.

Se mantenha longe, você não precisa disso!

Você não esta sozinha,

Você vale muito.

Autora:

Thais Coscia, feminista Marxista, mãe, aquariana e nada convencional! Bem-vindo ao meu mundo de faz de conta, rs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui