Tempo de leitura: 1 minuto(s)

O sexo é algo incrível capaz de ativar diversas áreas sinápticas do corpo, deixa aquela sensação de êxtase, pernas bambas e é responsável pelo processo de início da vida e ai, nesse processo sensacional, você vira mãe… e então, cadê a vida sexual?

No início, tudo parece impossível, tem a quarentena, o jejum, as cólicas do bebê, o seu corpo está todo doído, cortado e, mesmo que a vontade venha, nem sempre sobra tempo.

Mas sabe o que sobra? Cansaço, estresse, e os ombros pesam, pois você é a única responsável pelo seu bebê – e mesmo que não seja, essa é a sensação.

 O marido e a vida sexual ficam de lado, as preliminares, antes essenciais,  agora passam a ser secundárias, o ato sexual vira uma sequência de rapidinhas… O motivo? o bebê acordou, os parentes vem a todo momento, o sono é seu companheiro constante, a libido diminuiu, tem aquele medo interminável de uma segunda gestação, e diversas outras situações.

 Ai bate aquela insegurança danada e a sensação de que seu relacionamento é coisa de segundo plano, e quer sinceridade? Virou segundo plano!

Calma! Respira fundo e se apega naquele mantra fundamental para a maternagem: VAI PASSAR! Pode até parecer que a vida se tornou uma sucessão de rapidinhas ou que as preliminares nunca mais vão acontecer, uma hora a poeira baixa e ai vai ser possível voltar a transar de verdade, usar fantasias e todo o resto, afinal, mãe transa!!!


Autora: Mirela Amorim | Insta: @milamoras_

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui