Tempo de leitura: 2 minuto(s)

A maternidade apesar de parecer, somente, um momento visto como auspicioso, também é um momento que pode causar muito estresse, ansiedade e sobrecarga aos envolvidos. Culturalmente, a mulher é criada para a maternidade e cuidados diários da casa, e mesmo atualmente no século XXI a situação permanece enrustidamente de forma preconceituosa. 

Omite-se a dor e o cansaço frente a maternidade e todas as suas atribuições, dando a falsa impressão de que a mulher consegue fazer tudo de forma segura e sem cansaço aparente.

Com frequência mulheres argumentam a dificuldade ao enfrentarem as oposições diárias com os afazeres maternos, com os sentimentos e suas emoções ambivalentes frente ao cotidiano com os filhos, é a rotina exaustiva que surge com o nascer e crescer de um filho.

Em geral, as mulheres, independentemente da idade, se rodeiam de multitarefas, sendo eles desde o trabalho, estudos, limpeza e organização da casa, vida pessoal e social, atividade física, animais domésticos, familiares, relação conjugal e com tudo isso, junta-se a rotina de um novo membro familiar, planejado ou não, da mesma forma o filho que nasce traz consigo novas e muitas outras obrigações a vida de uma mulher.

Amar um filho não significa amar a maternidade e todas as complicações e afazeres que vem junto, é querer estar com seu bebê e vivenciar suas fases e ao mesmo tempo poder ter o suporte de outras pessoas. A rede de apoio, é um desses suportes que pode vir a auxiliar, não em todas, mas na grande maioria das atividades que envolvem uma criança. Entende-se que a maternidade é um acontecimento de grande validação, com esta vem a falsa impressão que é necessário amar junto com o filho todas as complicações da maternidade, igualitariamente.

Ser mãe não significa tornar-se inatingível a tudo que vem junto com a maternidade, muitas mulheres não possuem rede de apoio para auxiliá-las e precisam negligenciar cuidados básicos com si próprias para dar conta de tudo. 


Autora: Daniessa Rodrigues. Sou psicóloga (CRP 07/35560), formada pela Universidade Feevale, pós graduanda em psicologia puerperal pelas Faculdades Dom Alberto- Santa Cruz do Sul. Instagram: @daniessarodrigues_psicologa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui