Tempo de leitura: 2 minuto(s)

Eu sei que depois que a maternidade bate em nossa porta, nosso maior desejo é ser uma mãe melhor. No consultório tenho atendido diversas mães cujo tema principal da terapia é: “eu não sou uma boa mãe”! Vivemos em tempos de espelhos que não refletem à verdadeira imagem! Nem tudo que vemos é real. E diante de tudo isso, nossa própria realidade parece pesada demais para nós!

Tenho atendido mães que lamentam estar cansadas! Que sofrem por não dar conta de tudo. Que se frustam por não saber o que fazer com os filhos e se veem perdidas diante do caos que a rotina se tornou: pandemia, isolamento, aula online, home office. Mulheres que têm dado conta da profissão, da casa, do casamento, dos filhos.

Mães que acordam cedo, preparam o café, ligam o computador, coordenam a aula online, analisam as papeladas, respondem e-mail, fazem o almoço, trocam a fralda, ligam para o cliente, acompanham a aula online do outro filho, respondem a mensagem do chefe, fazem reunião por videoconferência, são interrompidas por uma criança que invadem o consultório…antes de ficar irritada, respondem ao pedido do filho que quer apenas um beijo!

“Eu não sou uma boa mãe”. Escuto todos os dias! Mulheres que estão perdidas em seus próprios papéis. Que não sabem mais quem são, não se lembram de quem eram antes da maternidade e não sabem como retornar ao caminho que as levam de volta para si mesmas! Sabe, você não precisa ser a melhor mãe do mundo! Você precisa se ver também.

Você precisa se cuidar e se priorizar.
Uma noite a sós.
Uma tarde para descansar.
Uma manhã para dormir até mais tarde!
Ir ao banheiro sozinha.
Deixar os filhos com os avós.
Se permitir estar cansada!
Não se culpar por não dar conta da lista infinita de tarefas a se cumprir antes de ir para cama!

Quer ser uma boa mãe para seus filhos? Comece sendo uma boa mulher para você: se priorize! Cuide de sua saúde física e emocional. Uma mãe bem cuidada reflete isso na vida de sua prole. Seus filhos não precisam de muito. Eles precisam de você, num bom estado mental!

Autora: Meu nome é Joice Resplande, tenho 30 anos, sou Psicóloga Obstétrica especialista em maternidade. Mãe do Pedro de 3 anos e da Geovana de 1 ano.Instagram: @joiceresplande 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui