Mulheres-mães protagonistas da própria história

A madrasta da minha filha quer roubar minha autoridade

A madrasta da minha filha quer roubar minha autoridade

Compartilhe esse artigo

Por Anônimo 

Já vi mãe implicar com madrasta, mas nunca vi madrasta implicar com a mãe. Meu ex é super passivo e casou-se com uma mulher mais nova, super controladora e que quer tomar a frente em todas as decisões da criação.

Tudo que converso com meu ex sobre planos para criação, ela responde às mensagens fingindo que é ele (minha filha que me contou), toma frente de decisões como: escolher psicólogo para minha filha, fazer matrícula em colégio, fazer festa de aniversário, aí quando eu penso em fazer, ela já tomou a frente e fez. 

Como fazemos guarda compartilhada, meu ex assina embaixo dizendo que foi ele quem quis e que ele tem o direito. Quando tento me impor, ela vem com quatro pedras na mão dizendo que não vai mudar, fazendo comparações do jeito que minha convive com eles, que eu não levo jeito para conquistar minha filha, que lá eles criam melhor, tudo é melhor lá.  

Me ofendeu me chamando de velha (ela tem 24 e eu 36 anos), mandando eu me enxergar. Isso tudo porque eu bato de frente com ela tentando defender meu espaço. Maus tratos minha filha não vive, pelo contrário,  ela dá tanto carinho que minha filha só quer ficar no colo dela, com 10 anos de idade. 

Além disso, minha filha também mudou. Não gosta de tirar fotos mais comigo, de abraços, e perdeu o respeito. Eles alegam que não falam mal de mim para minha filha, mas minha filha já me contou que ela brincou dizendo que ia mandar me matar e vender meu rim, que ninguém ia sentir falta se eu morresse. 

Essa é a única prova grave que tenho contra ela em áudio que gravei minha filha (sem ela saber)  me contando, e outras provas de mensagem insinuando que só eles a amam,etc.

Também expõe muito minha filha nos status. Tudo que faz para minha filha ela posta, inclusive pega o celular da minha filha e posta pela minha filha fotos das duas. 

Eu não sei mais o que faço. Estou tomando antidepressivo, a justiça não está ao meu favor para eu conseguir a guarda unilateral mesmo que mantenha a visitação compartilhada. Mas gostaria que o direito fosse meu, pois o pai é passivo demais. Além do mais, ela precisa aprender qual é o lugar dela.

Compartilhe esse artigo

Leitura relacionada

Últimos Artigos

Deixe um comentário