Mulheres-mães protagonistas da própria história

24/7/365/… até quando?

Compartilhe esse artigo

O que não nos contam sobre a maternidade? Quase tudo o que ocorre após o teste positivo de gravidez, ou seja, não nos contam nada! 

Parece que ter filha ou filho é apenas fazer chá de revelação, chá de fraldas, como se fosse tudo uma grande festa! Aí, nasce o bebê e somos apresentadas à realidade da privação de sono, da exaustão, do cansaço; pois passamos a cuidar da cria vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana, trezentos e sessenta e cinco dias por ano… até quando? 

Eu me pergunto isso todos os dias e só faz três anos e meio que não durmo.

Ah, mas e as alegrias da maternidade? Sim, mas e o caos da vida? E a falta de tempo para as coisas simples como tomar uma taça de vinho no final do dia? Você já ouviu dizer que ser mãe é padecer no paraíso? Focou no paraíso? O verbo é padecer!

Ah, mas foca no paraíso!

Depois que sua filha ou seu filho nascer, o que você mais vai desejar são oito horas (ininterruptas!) de sono! E o vinho? E o cinema com as amigas? E o happy hour? E… 

Repito: oito horas ininterruptas de sono!

E o paraíso? É todo o resto que não exaustão, birra e virose! E é o motivo pelo qual, depois do primeiro, vem o segundo, o terceiro… Já foram dez, quinze, vinte, lembra? E as mulheres morriam com menos de sessenta anos e ficavam, por baixo, uns dois terços da vida sem dormir.

Ah, não é bem assim…

A que horas escrevi esse texto? 1:20 da madrugada. E, não, não vou acordar às 10 da manhã! Até quando?

Por: Ana Fonseca – @ana_fonseca_escritora
Revisão: @tevejomae

Compartilhe esse artigo

Leitura relacionada

Últimos Artigos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *