Tempo de leitura: 2 minuto(s)

Todo ano, no carnaval, temos centenas de campanhas lançadas por povos indígenas sobre o uso da fantasia. Mas, infelizmente, muita gente faz isso pensando que está homenageando, porém, por conta do racismo estrutural, não se dão conta que ações como essa só perpetuam o que vemos tentando mudar há tempos: a banalização da cultura e o racismo.

Esse tipo de atitude se dá estruturalmente, principalmente, quando somos crianças. 19 de abril é sempre a mesma história, fazer pintura nas crianças, falar sobre ocas, arco, flecha, dança da chuva e essa educação racista referente aos povos originários fica enraizada.

A ignorância em relação a isso é enorme, por isso, existem tantos indígenas que ocupam a internet para denunciar e mostrar que a coisa não é como nos ensinaram.

A Kaê Guajajara é indígena, mãe e em parceria com a Educação para a paz, separou 9 itens importantes ensinando como respeitar a cultura indígena. Dicas importantes não somente para elas, mas para os adultos também! Leve essa ideia para escolas, dentro de casa e para a família!

  1. Ensine que o Brasil não foi descoberto, era uma terra já habitada quando invadida e um dos seus nomes é Pindorama.
  2. Ensine que adereços e símbolos sagrados não são fantasia.
  3. Ensine que os povos originários ou indígenas (não chame de índio) são muitos e que existem mais de 274 línguas.
  4. Ensine o que é genocídio e explique que os povos originários o sofrem pelas mãos dos brancos até hoje, ficando sem suas riquezas naturais e direitos.
  5. Não sexualize mulheres indígenas, por respeito à todas que foram “pegas no laço” (Expressão usada para designar quando homens brancos tinham que casar com mulheres locais para ter um hectar de terra, então, as raptavam e estupravam).
  6. Ensine que povos originários têm sabedoria sobre tecnologias (saberes técnicos), sobre curas naturais, sobre como manter a natureza vive e de pé, coexistindo com ela.
  7. Ensine que os povos originários não moram somente no mato: o genocídio vem trazendo estas pessoas para a cidade, para lutar por seu direito de existirem.

E ai, o que você achou? Seja aliado dos povos indígenas compartilhe o respeito aos povos originários com seus filhos. A gente agradece!

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Ops, conteúdo protegido!