Tempo de leitura: 4 minuto(s)

Acredito que, a partir dos 4 meses, os desafios nos causam menos danos emocionais. Os primeiros meses são os mais difíceis dessa jornada. O puerpério pesa demais. A gente vai se cobrando por tudo.

Gosto muito de lembrar a vocês: seja “apenas” mãe pro seu filho. É “só” isso que ele precisa. Se você sentir necessidade de apoio Psicológico, procure ajuda! Aqui no site, há profissionais que se dispuseram a oferecer terapia a preço social.

Sono do bebê

Observando o comportamento do meu filho, falando com várias mães, lendo posts em grupos maternos no face e até com meu tio que tem três filhos, cheguei à essa conclusão:

Daqui em diante, se o bebê for dos que dormem a noite toda, irá dormir.

O que mais ouvimos da Pediatra do nosso filho é “Vitor é um espelho de vocês”. Meu marido e eu somos de dormir e gostar disso pra viver bem. Vitor desde os 5 meses dorme a noite toda.

Uma amiga minha que tem insônia me relatou que o filho dela, que hoje já tem cinco anos, não dorme a noite toda. E, às vezes, vira madrugada com ela vendo desenhos. É o espelho dela!

Deixar ou não na escolinha ou com alguém

Para as mães que têm 4 meses de licença maternidade, a separação dos bebês vem mais cedo. Há as que têm férias e conseguem estender essa separação. De acordo com a Medida Provisória 927/2020 devido à pandemia do Covid, podem ser comunicadas e tirar já a partir do dia seguinte ao fim da licença maternidade.

Para as que têm que retornar ao trabalho, começa aí um dilema. Deixar o bebê em uma escolinha? Em uma creche? Contratar uma babá? Deixar com alguém da família?

É algo que nos deixa muito apreensivas. Passei por isso, dos desafios, foi dos mais complicados pra mim. Precisei deixar na escolinha. Chorei uma semana antes de deixar de fato. Sofri muito. E digo: o sofrimento é todo nosso. Os bebês ficam bem tranquilos nas escolinhas/creches.

Caso opte por babá, procure saber se ela tem referências. Veja as redes sociais dela. Tente descobrir se alguma mãe a elogia por cuidar bem dos bebês.

A questão de deixar com alguém da família: se pergunte se você confia mesmo nessa pessoa, se ela te passa segurança necessária de que cuidará bem do seu filho. Isso é indispensável!

Tente ir ao trabalho pensando que você está retomando a vida. Voltando a se encontrar consigo mesma. E que isso ajudará a ambos lá na frente. Não se cobre por isso, nem se sinta mal.

Se lembre que o seu trabalho fora atualmente, é a sua fonte de renda. Que te faz independente. E isso lhe fará bem!  

Fase oral

Por volta dos cinco meses, essa fase vem com tudo. Como o nome já sugere, é tudo na boca, muitos desafios. É assim que eles conhecem as coisas, o mundinho ao redor. O melhor jeito de passar por esse desafio, é desligar as neuras.

Cuidado redobrado: com moedas, feijões e coisas pequenas que ele possa colocar na boca. Eles também descobrem que os dedos ajudam na coceira dos dentinhos que vem vindo. Babadores ajudam muito nessa fase.

Pitacos sobre alimentação

É… Eles não somem, viu?! Vai surgir gente “do nada” pra dizer que “seu leite é fraco”. Até os 6 meses de vida, os bebês devem ser alimentados com o leite materno ou as fórmulas. Mais nada. Nem chá! Nada! Sério!

Vídeos de musiquinhas

Há quem seja contra. Há quem seja a favor. Mal não faz, claro que se ficarem em frente à tevê o dia todo, não é bom. Mas uma horinha por dia, vendo por exemplo, a famosa Galinha Pintadinha, não faz mal.

Eles gostam de televisão. Melhor ver a Galinha, que novelas com cenas de intimidade em plena tarde, ok?!

Você é a mãe… Apesar de ser de primeira viagem, a natureza é tão divina que você, saberá o que é o melhor pro seu filho. Como eu disse, “apenas” seja mãe pra ele. Os desafios vem, mas vencemos um a um. Ah, já pode deixar seu bebê no chão! No próximo artigo falo sobre isso!

Mantenha um forte laço com seu filho! Isso que vale, pra vida toda!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui