Tempo de leitura: 3 minuto(s)

Quantas vezes você não chegou no quarto de seus filhos, ou mesmo no cantinho onde eles brincam na sala, e não sentiu aquele verdadeiro desespero com a bagunça?

No entanto, há um consenso entre especialistas que a tal “bagunça” é algo fundamental para desenvolvimento das crianças.

Para a pedagoga Waldorf, Katia Alvarenga, é na bagunça que a criança começa a organizar seus pensamentos e experienciar o “brincar”, que é a forma mais legítima de aprendizado. “O brincar livre e espontânea é a maior riqueza da criança e onde ela pode aprender o que ninguém pode ensinar a ela.”, afirma.

Já a psicóloga e psicanalista Letícia Antonelli, destaca o caráter social e coletivo da “bagunça”. Para ela, nos lares brasileiros, sobretudo nas grandes cidades onde as áreas de lazer são raras e há uma preocupação com a segurança , o quarto onde a criança dorme é também seu espaço de brincadeiras e onde ela organiza sua realidade. Ela afirma ser parte do processo arrumar, desarrumar e arrumar novamente. “Mais importante do que um quarto com cara de foto do pinterest, é ter um quarto vivo, que cumpra sua função para a criança em desenvolvimento.”, explica.

Dicas de organização

Sabendo agora que a bagunça é inevitável e importante, separamos cinco orientações da consultora de organização, Nalini Grinkaut, sobre como os pais podem manter não somente organizado, mas ao mesmo tempo atrativo às crianças, os quartos ou espaços de brincadeiras.

  1. Fazer frequentemente uma triagem dos brinquedos que a criança gosta e usa;
  2. Incentivar a criança a participar sempre do momento de pegar e guardar, colocando como parte da brincadeira é muito importante para desenvolvimento da autonomia;
  3. Separar os brinquedos em “famílias”, por tipo ou semelhança;
  4. Criar endereços para os brinquedos. Se necessário use caixas organizadoras que facilitam nesse processo;
  5. Adeque o brinquedo ao tamanho da caixa. Para brinquedos maiores como pelúcias, use caixas grandes e para coleções pequenas priorize as menores. As caixas transparentes ajudam muito na visualização!

Prefira materiais BPA Free

Outro ponto que podemos chamar à atenção é a qualidade e o processo de fabricação das caixas e estantes plásticas. Primeiro pra evitar as famosas “rebarbas” plásticas que podem machucar e, segundo, porque existem no mercado brasileiro uma crescente preocupação com a procedência dos materiais, em especial dos plásticos.

Algumas marcas vem desenvolvendo produtos com níveis satisfatórios de responsabilidade social e sustentabilidade. É o caso dos produtos da Curver, marca pertencente ao Grupo Keter, que produz caixas organizadoras, estantes e outras dezenas de produtos disponíveis no varejo brasileiro e, de acordo o diretor comercial da empresa, Hilario Camacho,vem atuando com produtos livres de Bisfenol A (BPA Free) e um alto índice de reciclagem em suas operações. “41% de toda a produção utiliza matéria-prima reciclada, o que significa que também somos o líder em reciclagem neste ramo. Em 2028, utilizaremos mais de 80% de matéria-prima reciclada”, afirmou.

Com essas dicas e essas premissas de responsabilidade, você vai poder dar a seus filhos uma ambiente lúdico, agradável e saudável, favorecendo o crescimento e o aprendizado e ajudando a formar os futuros cidadãos e as futuras cidadãs do mundo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui