Tempo de leitura: 7 minuto(s)

Fui mãe  aos 19 anos, sempre tive o sonho  de ser mãe  e de um menino, mais óbvio  que quando  fiquei sabendo que estava grávida, tomei um susto, pois não  esperava, estava em uma fase que minha vida acadêmica  estava começando, morava sozinha fazia 4 meses, em um trabalho novo. Tudo estava em fase de adaptação, logo descobri a gravidez!
Desde de nova, sempre tive problemas hormonais, já tomei mais de 4 tipos de anticoncepcionais  e todos  davam hemorragia, dores, muita enxaqueca, tomei por 1 ano injeção e sai do meu peso normal, me inchou  muito e eu tinha uma retenção  de liquido maior que o normal! Depois de um tempo, indo e voltando em médicos, consegui um remédio, o qual, a fórmula  dele não  tinha nada em especial, mas foi o único que meu metabolismo aceitou.
Tomava  ele diariamente , porém desde que iniciei com anticoncepcionais  eu tinha um problema sério, minha menstruação  ficava as vezes, 3 meses  sem vir e quando vinha, era horrível! Diagnostiquei, ovários policísticos! Nessa mesma consulta, ginecologista  me disse, quando quisesse ser mãe, teria que fazer tratamento, seria difícil! Logo eu  que sonhava ser mãe, fiquei  triste, mas como era nova, nem pensava em ser mãe logo , pensei que tudo pode mudar. Depois de certo tempo, fazendo exercícios  físicos  diariamente, não tinha disposição, vivia cansada, dores de cabeça  e, por incrível  que pareça, nada de enjoos.  Não desconfiava gravidez, afinal tinha o problema com o atraso  de menstruação, e o cansaço  para mim era normal, minha vida era muito agitada, trabalho, treino, trabalho, faculdade todo santo dia.
Até  que um dia, comecei a estranhar, quando  cheguei até  a menina  que me acompanhava na academia e falei,  nossa, eu emagreço, mais a barriga  tá uma bolinha, não  consigo entender. A personal da academia me orientou  fazer exames. Num certo dia indo trabalhar, passei em uma farmácia, e comprei de cara um teste de gravidez, ali surgiu uma listra quase invisível e uma rosa bem marcada! Era a primeira vez que eu fazia um exame de gravidez, estava perdida, porém na caixinha dizia que uma linha que era negativo e duas linhas era positivo!
Mas eu precisava  de um resultado oficial, em uma segunda-feira, fui obrigada  correr cedo para um laboratório  para ter a certeza. Eu já esperava o sim, estava conformada, mas do mesmo jeito, dava um gelo só  de pensar que era realmente, oficial! A tarde saiu o resultado e sim, eu estava esperando um baby, e desde o primeiro momento era o Bernardo, sempre sonhei em ter filhos com nome Bernardo  ou Guilherme! Amo esses nomes! Mais já estava decidido, se fosse menino (que eu com a minha intuição  já sabia que era) seria Bernardo, se fosse menina seria  Beatriz. Era o Be ou a Bea?
Logo na primeira consulta, levei um susto, fui saber que estava de 4 meses e meio, e não tinha nada além  de sono e dor de cabeça. E querem saber sobre desejos? Eu tinha e nem sabia, era sempre antes de chegar da faculdade, eu incomodava o  Yuri para esquentar  água, e tirar coxinha de frango, pra mim fazer aquelas  canjas bem ralas, sabe? Era só isso que eu queria  também, eu não  me sentia enjoada, mais o estômago  parecia pesado, o cheiro  das comidas me enjoava! Logo depois que fiz o ultra, comecei  urgente a tomar as vitaminas, ferro, e comia tudo que queria, sem dó, até  demais!
Mas eu gostava de comer só  porcaria, foi ai que nas consultas comecei a levar várias chamadas, para comer mais legumes, frutas, sucos. Tudo era para o meu bem, mas eu não queria ouvir, Yuri  me dava várias  chamadas, comprava coisas saudáveis, sucos, minha sogra me fazia  comer feijão  todos os dias. Todos me cuidavam e eu amava!
Logo descobri que o príncipe  Bernardo  estava a caminho! Felicidade  maior do mundo!  É começava  os preparativos, as compras  de roupas! A espera  e a ansiedade  a espera do meu pequeno  urso, as semanas voaram, quando menos vi, já estava  na hora dele nascer.

O parto

A gestação foi tranquila até um certo limite, mas na 37ª semana, descobri que estava com uma bactéria hospitalar reagente a vários tipos de antibióticos e aí começou o sofrimento. Meu médico me afastou do trabalho 15 dias e entrei com tratamento por 7 dias. Ele consistia em levar duas picadas por dia no bumbum, sofria muito, só chorava, mas o que me dava força, era pensar que faltavam duas semanas para ele vir ao mundo.
Sempre quis parto normal e por motivo da saúde dele , tive que fazer a cesárea. A frustração foi grande, mas marquei a cesárea, e no dia 08/04/2015 o Bernardo iria vir ao mundo! Um dia antes da cesárea eu estava a nervos e vocês acham que descansei?  Que nada, rsrs eu fiz um faxinão na casa e na noite antes do parto não consegui dormir nada. A ansiedade estava grande! 6:30 da manhã, sai de casa e fui a caminho da maternidade com o papai e a vovó, dei entrada e logo fui internada, a hora passou voando e quando vi, meu médico chegou e me preparou para entrar na sala de parto. E a mágica começou…
Tive como acompanhante do papai do Bernardo e uma equipe médica maravilhosa. Infelizmente, por erro meu, na hora da aplicação da anestesia eu pulei e a agulha entortou dentro da minha coluna, foi dolorido para tirar porém me acalmaram e o procedimento se repetiu. E aí começou a cesárea foi coisa de 45 minutos, ouço o Bê chorando, e a emoção tomou conta de mim!
Tive a certeza que esse momento, e esse dia foi o melhor da minha vida e a certeza que a partir daquele minuto minha vida iria mudar completamente com a chegada do príncipe Bernardo.

AUTORA:

Mariane, tenho 22 anos, estudante de DIREITO, sou  natural  de Tijucas – Santa Catarina. Mãe do Bernardo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui