Tempo de leitura: 3 minuto(s)

Eu não sabia que a maternidade iria me cansar tanto. Se entregar 100% também é sinônimo de se anular e aos poucos se acabar. 

Meu sonho sempre foi ser mãe. Tenho endometriose e, por incrível que pareça, não tive problema nenhum para engravidar, pelo contrário, foi mais rápido do que imaginei. Mas também foi mais rápido do que imaginei o quanto eu me acabei. Eu amo minha filha, faço tudo por ela e me dedico 100% a ela. Agora, ela irá completar 2 anos, e são exatamente 2 anos que nunca mais sai com meu marido, que nunca mais sai sozinha com as amigas, que nunca mais fiz nada sem me preocupar, que nunca mais fui em uma academia, que nunca mais fiz nada por mim para me entregar 100% a ela.

Sempre tive o sonho de amamentar e assim estou até hoje, primeiro aleitamento materno exclusivo e agora, já cansada de dar o peito e sem saber como desmamar depois de 2 anos. A maternidade não tem sido fácil para mim, trabalho home office, sem babá, ajudante do lar, ainda cuidando da casa e da minha filha, que ainda não foi para a escola e está totalmente apegada a mim. Às vezes fico me perguntando onde eu errei e vejo que ter me dedicado a ela sempre 100% não foi tão saudável assim.

Hoje parei e pensei quando vou começar a cuidar de mim. Envelheci, estou com olheiras, emagreci, estou me acabando aos poucos, estou com rotina desregulada e uma vida paralisada em função da minha filha. Me perdi diante da maternidade, diante da função de ser mãe. Hoje eu sou somente a mãe da Alice, a pessoa mulher, parece não existir mais.

Antes de ser mãe pensava que se dedicar 100% aos filhos era o que toda mãe devia fazer, mas vejo por mim, que não é bem assim, precisamos dedicar tempo para nós também, precisamos ter vida além da maternidade. Atrás de toda mãe, existe uma pessoa que ela não pode deixar de ser depois de virar mãe. Eu deixei de ser quem eu era, não me reconheço mais, mas tenho fé que estou em tempo de reencontrar.

E quando me perguntam se quero um segundo filho?! Sim e como quero! As pessoas ainda me acham louca, que mesmo diante de tudo que estou vivendo e reportando entre linhas, eu ainda penso e quero ter outro filho, afinal, a maternidade é um aprendizado e tenho certeza de que com o segundo muita coisa será diferente e que será através dele que vou reencontrar a mulher que sempre existiu antes da maternidade.


Autora: Juliana Baracho. Instagram: @julianabaracho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui