Tempo de leitura: 8 minuto(s)

Essa é uma entrevista especial. Conheci o coletivo Mulheres da Luz através de compartilhamentos nas redes sociais de pedido de ajuda. Senti que poderia fazer algo, mesmo que pequeno, para contar um pouco da história dessas mulheres tão fortes e empenhadas em ajudar outras. Enquanto estava lendo as respostas desta entrevista, meu coração ficou quentinho e a vontade de mostrar essas mulheres, maior ainda.

O intuito dessa entrevista é mostrar trabalhos invisíveis e anônimos, que não tem centenas de compartilhamentos, glamour e festas, mas de mulheres que lutam com afinco acreditando na justiça social e no amor.

Conheça as Mulheres da Luz e ajude! Elas precisam de doações, de parcerias, de voluntariado! Todos podemos fazer nossa parte.

Confira a entrevista:

Mães que Escrevem: Como e por que surgiu a ideia de criar o Mulheres na Luz?

Integrantes e responsáveis pela ONG.

Mulheres da Luz: Cleone e Irmã Regina se conheceram, por acaso, no Parque da Luz. Nas muitas conversas que tiveram, era mútua a preocupação que ambas sentiam em fazer algo pelas mulheres que trabalhavam no parque. Dessa forma, poderiam tentar minimizar as consequências da baixa autoestima de todas aquelas mulheres e, ainda, ocupar de forma útil o tempo livre.
O trabalho de Cleone e Irmã Regina ganhou visibilidade após realizarem o projeto da biblioteca. Da biblioteca surgiu a necessidade de ter uma biblioteca, que se tornou uma forma de conseguirem ficar de forma permanente no parque.

No ano seguinte, em 2014, a Casa de Chá do Parque (patrimônio histórico tombado no Parque) tornou-se um local onde o coletivo podia se reunir com as mulheres e ter rodas de conversa. Era importante para as mulheres da região discutirem os problemas enfrentados buscando alternativas de mudanças, autoconhecimento, elevação da autoestima, conhecimento das políticas públicas, entre outros importantes assuntos. Em 2015, as rodas de conversas continuaram. Desta vez, foram realizadas reuniões na Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, o que possibilitou abordar ainda mais políticas públicas. Foram discutidas a formação de cuidados especiais de saúde, uso de anticoncepcionais, testagens e exames para detecção soropositivo e sífilis, prevenção das IST’s em geral (com a distribuição de preservativos femininos, masculinos e gel lubrificante) e cuidados ginecológicos. Para potencializar o trabalho, foram criadas parcerias com postos de saúde e com uma clínica particular na Liberdade, onde foi oferecida a mediação para o uso do diafragma fornecido pela Secretaria de Saúde.

Neste ano, assumimos a Associação Agentes da Cidadania como pessoa jurídica para organizar as parcerias do Coletivo Mulheres da Luz. Em 2016 conseguimos o espaço onde estamos hoje, no porão da casa onde funciona a administração do Parque da Luz. Temos contrato anual com a Secretaria do Verde. É renovado, anualmente, o que causa alguma angústia porque nunca sabemos se no ano seguinte poderemos ou não continuar e não temos possibilidades financeiras para alugar um espaço que funcione como sede da associação.

Mães que Escrevem: Quem são as mulheres que compõem o time?

Mulheres da Luz: Somos três as que estão, diariamente e a tempo inteiro, totalmente focadas em todas as questões relacionadas ao coletivo Mulheres da Luz. A Cleone Santos presidente e fundadora do Coletivo. Ex prostituta do Parque da Luz e sempre envolvida nas temáticas feministas e em movimentos sociais. Regina Coradim, freira da Congregação Irmãs Passionistas. Fundadora do Coletivo junto com Cleone.  Gabriela Lopes, socióloga, com enfoque na Psicologia Forense e Exclusão Social, voluntária a tempo inteiro. Não podemos deixar de referir um grupo de voluntárias que, pontualmente, vão realizando trabalhos/ações em prol do coletivo.

Mães que Escrevem: Alguma de vocês é Mãe?

Mulheres da Luz: Com exceção da Irmã Regina, somos mães sim. E avós, também.

As camisetas e os livros estão à venda. Entre em contato com a ONG.

Mães que Escrevem: Podem me falar um pouco como é o trabalho de vocês no projeto?

Mulheres da Luz: Acolhemos mulheres no nosso espaço, organizamos oficinas/rodas de conversa com temáticas que sejam úteis para o dia a dia das mulheres. Fazemos trabalho de campo com entrega de preservativos e insumos com enfoque total na prevenção de IST’s. Encaminhamos mulheres para apoio jurídico, caso necessitem. Encaminhamos mulheres para a obtenção de aposentadoria e LOAS. Encaminhamos mulheres para consultas médicas, testes e especialidades médicas. Realizamos parcerias com grupos de estudantes e/ou universidades. Temos parcerias com outras entidades para realização de cursos práticos. Temos aulas de alfabetização. Temos 2 psicólogos clínicos que atendem no espaço 2 x na semana. Fazemos recolha de alimentos para compormos cestas básicas para distribuir às mulheres mais necessitadas. Fazemos recolha de doações de todo o tipo para vender em brechó (é a nossa única fonte de rendimentos) e para realizar brechós gratuitos para as mulheres.

Mães que Escrevem: Quem são as mulheres que vocês ajudam? 

Mulheres da Luz: São mulheres em situação de prostituição no Parque e Estação da Luz e seus entornos. São, na maioria, pretas, periféricas, com idade acima dos 40 anos e com uma baixa escolaridade. Atendemos no espaço, por mês, cerca de 200 mulheres. No entorno o total são de 500 mulheres, sendo que, aumenta esse número porque a família acaba sendo envolvida também por nós.

Integrantes e responsáveis pela ONG.

Mães que Escrevem: Quais são as maiores dificuldades enfrentadas?

Mulheres da Luz: Falta de apoios públicos e/ou privados. Falta de articulação com empresas com possam sanar muitos dos problemas que enfrentamos. Falta de recursos económicos. Falta de visibilidade e empatia a mulheres que se prostituem na rua.

Mães que Escrevem: Como as pessoas fazem para entrar em contato e ajudar?

Mulheres da Luz: Nosso espaço físico fica no Parque da Luz, dentro do Parque, no porão da casa onde funciona a administração do Parque. Nosso horário é das 14h às 18h de terças e sextas feiras e aos sábados das 10h às 16h. Abrimos em qualquer horários se tivermos algum compromisso. Aproveitamos para convidar a irem conhecer o nosso trabalho e a nos conhecerem um pouco melhor, também.

Mães que Escrevem: O que vocês mais precisam no momento?

Mulheres da Luz: Precisamos de parcerias com grandes superfícies (supermercados) que nos ajudasse, mensalmente, com cestas básicas e/ou alimentos que compõem as cestas.  Precisamos de parcerias com empresas, não só, visando doações mas também, podendo empregar algumas mulheres. Precisamos de doações mensais/fixas em dinheiro de forma a podermos fazer face a inúmeros problemas que se nos depara e que só com dinheiro podemos resolver. Precisamos que olhem para nós com olhos de ver, nos dêem as mãos, que não nos descriminem, não nos excluam e nos ajudem a ajudar. E precisamos de realizar o nosso grande sonho. Ter um espaço nosso. Uma casa, um sobrado, um apartamento, um galpão pequeno. Porque vivemos com a angústia de não termos o contrato do espaço renovado. E se sairmos dali não temos para onde ir. 

Entre em contato com a ONG Mulheres da Luz para fazer sua doação:

Facebook | Instagram | Fone: 11 95479-5981 (Gabriela Lopes)

Dados Bancários:

Associação Agentes da Cidadania
CNPJ: 08894876/0001-30
Banco do Brasil
Conta: 113.899-5
Ag: 0717-x

Livro à venda: “Mulheres da Luz – Trajetórias de vidas” – R$30.00 (Para adquirir, entre em contato com a ONG).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui