Tempo de leitura: 4 minuto(s)

Os métodos de avaliação no contexto escolar são bastante conflituosos para os alunos, nenhum deles quer tirar nota baixa ou ficam felizes quando não se saem bem nos inúmeros testes pelos quais precisam passar. 

Cada sujeito é único e aprende de formas diferentes, contudo, temos uma cultura nas escolas que busca homogeneizar todos eles, isso significa que os enxergam como se todos fossem iguais. Todos passam pelos mesmos testes avaliativos, e são cobrados da mesma forma, mesmo que haja diferenças entre eles, e assim sempre há os melhores e os piores, quando todos são bons em algo.

Uma criança pode responder melhor em uma prova escrita, enquanto outra pode se sair melhor em provas orais, outros podem expressar todo o conhecimento adquirido em desenhos, ou formas musicais, por fotografias, na dança, na pintura, mas, infelizmente todos os testes são padronizados.

Tem crianças que não reagem bem sobre pressão, sabem todo o conteúdo, mas ficam tão nervosos que não sai absolutamente nada na prova, ou não conseguem colocar no papel o que está na cabeça deles, e isso não os torna um problema, o problema está no método.

Como mãe e pai esses processos fogem ao nosso alcance, sugiro que acompanhem como esse processo acontece na escola de seus filhos, para que você possa entender esse universo, mas existe uma forma de aliviar esse estresse que nossos filhos passam:

Não cobre nota, cobre conhecimento: 

Parece difícil de assimilar, mas vamos tentar? Nós exigimos sempre que nossos filhos sejam bons, e isso significa tirar notas altas na escola, afinal de contas, eles só fazem isso da vida. Mas nota não significa necessariamente conhecimento.

Olhe para você, você consegue ser bom o tempo todo? Consegue saber de tudo e se sair bem sempre? A resposta é não, e por que achamos que nossos filhos precisam dar conta de algo que nem nós mesmos damos? Reflita. 

Este é um método que tenho implantado em casa, quando recebo as notas bimestrais ou quando recebo as provas com as notas. O primeiro passo é desconstruir na cabeça das crianças a diferença entre nota e conhecimento e o que será cobrado delas.

Repita sempre “Nota é consequência, se você conhece o conteúdo, consequentemente vai bem nas provas”, então vai algumas dicas para que isso aconteça:

  • Queira sempre saber o que a criança sabe, e não quanto ela tirou nas provas. E para isso use outros métodos, se seu filho é um ótimo desenhista, peça para ele desenhar o que entendeu e te explicar. Pesquise outros métodos, converse com seu filho, juntos vocês conseguem descobrir a melhor maneira dele expressar o que sabe, talvez nem ele saiba ainda.
  • Procure saber o que a criança entendeu do que copiou no caderno. Eles terão que ter o caderno em dia e prestar atenção no que está lendo e copiando, porque vai ter de dizer para você, e esse exercício faz com que eles estudem sem mesmo perceber.
  • Pergunte sobre o que aprendeu no dia e não apenas com foi o dia deles, eles vão começar a prestar mais atenção para sempre ter o que te falar quando voltam para casa.
  • Quando uma nota baixa aparecer, refaça as perguntas em casa, ou peça para eles refazerem a prova, pergunte se eles estava bem, você vai perceber que talvez eles não estavam num dia bom, ou que só ficaram nervosos, mas eles sabem, e se não sabem, você já fica sabendo onde precisa intensificar os estudos ou ajudá-los.

Lembra-se sempre que isso é um processo longo, contínuo e tem funcionado aqui e ele tem se saído muito melhor na escola depois que implantamos.

Se esse método não der certo, tente outros, só não ache que seu filho/a precisa sempre tirar nota 10, e não coloque essa pressão sobre eles, o ambiente escolar não é nada fácil, aproxime seus filhos ao invés de afastá-los.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui